Eu poderia falar da técnica, mas preciso falar primeiro da sutiliza.

A terapia é um dos poucos espaços onde podemos estar “a sós”. É eu e eu! Eu a dialogar com meus medos, meus problemas, ou meus desafios. Tem mais alguém ali? Sim, um alguém especial. Um alguém que tenha capacidade empática de perceber que têm determinados assuntos que eu ainda não estou pronto para falar. Um alguém que me ajuda a traçar um plano terapêutico, mas que sabe que em alguns momentos eu vou precisar de uma pausa no processo para simplesmente chorar, pois tem outras coisas mais com as quais eu não estou conseguindo lidar.

Cada paciente é um mundo descortinado a nós, psicólogos clínicos.

Se entregar para um estranho não é fácil, portanto, fazer terapia é um super desafio! É para corajosos. Acompanhar o processo terapêutico também é um super e apaixonante desafio! Não julgar; tarefa nada fácil, mas imprescindível nesse ofício. Ver marcas dolorosas irem pouco a pouco se transformando é simplesmente incrível! Como ouvi no Documentário “Canto de Cicatriz”, é “praticar o verbo dolorir, colorir a dor”! É possível isso?

Na terapia, alguns descobrem que se deixaram para trás, outros percebem que correram rápido demais. E tudo isso acontece “só conversando”. Na TCC, Terapia Cognitivo Comportamental, com a qual eu trabalho a gente utiliza algumas técnicas de escrita, registros, exercícios, etc. Porém, a maior parte do processo acontece “só conversando”. Entretanto, não é uma conversa de comadre. Não é um conselho de Padre. Tampouco uma conversa de bar. Sem desmerecer nenhuma dessas conversas tão importantes quanto a conversa travada no consultório. A Conversa com “C” maiúsculo ocorre em um contexto muito delicado, pois o paciente se entrega, se mostra frágil, triste, ansioso ou aterrorizado.

E aceita o convite para viajar com o psicólogo. E a viagem é a bordo de quê? Não, não é de trem bala. Nem de avião a jato. Às vezes é de carruagem. Outras vezes vamos de helicóptero para avistar de cima. Por vezes precisamos de um submarino para tocar as profundezas. Quem define a velocidade não é o motorista, este precisa sentir quando é hora de acelerar, ou quando é hora pisar no freio, ou até mesmo parar.

O psicólogo leva junto na viagem sua bagagem de teorias e técnicas para usar. Fazer isso não é mole não! Precisa ter muita empatia, sutileza, leveza, porque é preciso respeitar o tempo do paciente. Precisa ter capacidade técnica que não é adquirida de hoje para amanhã, é construída com base em muito esforço, pesquisa e estudo. Esse ofício exige grande responsabilidade, pois precisa gerar e demonstrar confiança. Nessa viagem ambos avistarão paisagens áridas e inóspitas, mas também irão vislumbrar lindos campos, frondosas árvores e jardins floridos. Na viagem às vezes precisamos corrigir rotas. E ao final dela o paciente segue, às vezes sem olhar para trás, pois agora não precisa mais do seu par. Leva o que aprendeu e se torna seu próprio terapeuta! Oi, muito prazer! Esse é o meu fazer! O fazer da sutileza!

Como disse Jung: Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.

Feliz 27 de agosto, Dia do Psicólogo, para todos profissionais, pacientes, estudantes, professores e demais envolvidos em gerar bem-estar, em curar com Conversa.

Nosso ponto de encontro para celebrar essa data e explorar novos conhecimentos e experiências será na Semana do Psicólogo (clique para acessar o evento no facebook). Da uma espiada rápida nas atrações: 

// SEGUNDA: Roda de conversa sobre Psicoterapia Online com Gerson Siegmund;

// TERÇA: Circuito de Palestras rápidas ao melhor estilo TEDx (5 palestras de 20 minutos, nos mais variados temas)

// QUARTA: Apresentação e demonstração de ferramentas cognitivo-comportamentais com Dionéia Luciane Mendes

// QUINTA: Palestra e vivência experimental sobre bem-estar e saúde mental no trabalho com Daniela Munhoz

// SEXTA (free!): Confraternização de encerramento com especialidades gastronômicas locais + palco aberto e show de talentos

COMPRE SEU INGRESSO JUNTO A NOSSA EQUIPE OU ONLINE, POR ESTE LINK: https://goo.gl/3zy3zP

 


 

Sobre a autora:

Márcia Werner é Personal & Professional Coach pela SBC, Graduada em Psicologia pela UNISINOS. Especialista em Violência pela USP-SP (2004), Mestre em Psicologia pela UFRGS,  Docente no Centro Universitário UNIVATES por 10 anos e Gestora da N.Cursos.

Hoje é o Dia Mundial da Saúde Mental!
Sobre não "ter que passar por essa situação novamente"

Deixe uma resposta