No ano de 1992 a Federação Mundial de Saúde Mental, instituiu o dia 10 de outubro como o Dia Mundial da Saúde Mental. Este ano, o cerne da campanha é a saúde mental no contexto do trabalho.

De fato, é longo o tempo de nossas vidas que passamos trabalhando. Justamente por isso, é justo, legítimo e intransferível que o trabalho seja um local produtivo, não só externamente (pelos resultados concretos), mas também internamente, através da vivência de emoções positivas, vínculos saudáveis e realização pessoal.

Segundo a psicóloga Daniela Munhoz, CEO Núcleo, o trabalho precisa ter um sentido mais amplo, que não só a produção de serviços ou produtos, mas que corresponda a construção de relações significativas que possam servir de suporte no trabalho e também na vida pessoal. A máxima antiga sobre dissociar trabalho e vida pessoal, há muito já caiu por terra.

Esse tema interessa a todos nós, logo que todos estamos fazendo uso e parte deste espaço, seja como empregado ou empregador.

Por vezes é difícil relacionar trabalho com a saúde mental, mas basta buscar uma compreensão um pouco mais ampliada para identificar essas relações. Por um momento, pense no seu trabalho, no trabalho da sua esposa, esposo, filhos, do seu pai ou de sua mãe – como será que essas atividades, desempenhadas durante tanto tempo, afetam as suas relações diárias? Como implicam no seu stress cotidiano ou nos seus níveis de satisfação?

Se você é capaz de dimensionar o espaço que o trabalho ocupa na sua vida e de sua família, e como implica nos seus relacionamentos e emoções, também é capaz de se sensibilizar, responsabilizar e de se movimentar por essa causa. Nós da  equipe Núcleo estamos sempre a disposição para somar em prol de rotinas de trabalho mais saudáveis, de vidas mais plenas e satisfatórias.

Conheça a proposta integradora da Terapia do Esquema
Da sutileza de um fazer

Deixe uma resposta